O consumo de comida via aplicativos de delivery no ambiente laboral: um caminho para precarização do trabalho?

Flora Thamiris Rodrigues Bittencourt

Resumo


A sociedade moderna aponta uma cultura de consumo, que se torna fundamental na vida social e adquire valores extensivos a outros domínios sociais. Portanto, ao se abordar sobre cultura de consumo é importante destacar que esta tem relação direta com a economia de serviços vivenciada pela sociedade atualmente e que, além disso, destaca-se um novo tipo de indústria de serviços, a chamada indústria criativa. O papel da tecnologia também fica evidente na esfera do consumo, já que as tecnologias mobile estão sendo cada vez mais utilizadas para criar maneiras que facilitem e auxiliem o dia a dia de seus usuários. É possível observar nos dias de hoje o crescimento de desenvolvedores de aplicativos de comida, uma vez que a sociedade está inserida em uma cultura de consumo e o celular faz parte do cotidiano dos cidadãos. No que tange ao mundo do trabalho, muitos trabalhadores com intuito de poupar tempo ou com horário apertado da hora do almoço, priorizam comer sem sair do escritório e estão solicitando suas refeições via aplicativos de delivery. Observa-se que alguns trabalhadores passaram a não separar a hora da refeição e acabam comendo enquanto desempenham suas funções, para que haja otimização do tempo de trabalho. Logo, percebe-se uma precarização do trabalho mascarada pela facilidade e agilidade de pedir a comida pelos aplicativos de delivery. Portanto, este estudo tem como objetivo principal discutir sobre como o consumo de comida por meio da proliferação de aplicativos de delivery no ambiente laboral pode propiciar a precarização do trabalho.


Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, R. Afinal, quem é a classe trabalhadora hoje? Revista Rede de Estudos do Trabalho, São Paulo, ano 2, n. 3, p. 1-9, 2008.

______. O continente do labor. São Paulo: Boitempo, 2011.

ARNOULD, E. J.; THOMPSON, C. J. Consumer Culture Theory (CCT): Twenty Years of Research. Journal of Consumer Research, Chicago, v. 31, n. 4, p. 868-882, mar. 2005.

BANERJEE, S. B.; LINSTEAD; S. Globalization, Multiculturalism and Other Fictions: Colonialism for the New Millennium? Organization, v. 8, n. 4, p. 683-722, 2001.

BARBOSA, A. M. S. O empreendedor de si mesmo e a flexibilização no mundo do trabalho. Revista de Sociologia e Política, Curitiba , v. 19, n. 38, p. 121-140, fev. 2011.

BARBOSA, L. Sociedade de consumo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

BARBOSA, L.; CAMPBELL, C. Cultura consumo e identidade. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

BENDASSOLLI, P. F. Recomposição da relação sujeito-trabalho nos modelos emergentes de carreira. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 49, n. 4, p. 387-400, out./dez., 2009.

CASTELLS. M. A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 2009.

COUTINHO, M. C. Sentidos do trabalho contemporâneo: as trajetórias identitárias como estratégia de investigação. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, Brasil, v. 12, n. 2, p. 189-202, dez. 2009.

CUCHE, D. A noção de cultura nas ciências sociais. São Paulo: Edusc, 2002.

D'ANGELO, A. Cultura e consumo: apanhado teórico e reflexões para o ensino e a pesquisa de Marketing e Administração. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 27, 2003. Anais... Atibaia: Enanpad, 2003.

DOUGLAS, M.; ISHERWOOD, B. O mundo dos bens – Para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: EdUFRJ, 2006.

ESTADÃO. Jánamesa lança serviço de delivery corporativo para pedidos de comida no trabalho. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2018.

FEATHERSTONE, M. Cultura de consumo e pós-modernismo. São Paulo: Studio Nobel, 1995.

FRANÇA, L.; STEINHORST, C.; BOAVENTURA, R.; SIWERT, C.; SILVA, D. R. S.; CORRÊA, P.; CRISTOFOLINI, M.; DAMACENO, A. R.; OLIARI, D. E.; ANNUSECK, M.; MANFRINI, J. E. Search Food BNU. In: SOCIEDADE BRASILEIRA DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES DA COMUNICAÇÃO, 21., 2014. Anais... INTERCOM, 2014.

GABRIEL, Y.; LANG, T. The Unmanageable Consumer. London: SAGE Publications, 2006.

GRANERO, A. E.; COUTO, T. C. Consumo no ciberespaço: a explosão de aplicativos de dispositivos móveis que ajudam a controlar a vida na palma da mão. Revista GEMInIS, [S.l.], v. 4, n. 2, p. 89-105, dez. 2013. ISSN 2179-1465. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2017.

HÄMÄLÄINEN, J.; MOISANDER, .K. Consumer culture. In: International Incyclopedia of Organization Studies. Londres: SAGE, 2010.

JACOBY, J. ACR Presidential Address Consumer Research: Telling It Like It Is, Advances in Consumer Research, v. 3, p. 1-11, 1976.

LIMA, Â. M. S. Os impactos da globalização no mundo do trabalho. In: Terra e Cultura, ano XX, n. 39, p. 32-49, 2004.

LIMA, R. J. C. Dicionário de trabalho e tecnologia. Trab. educ. saúde, v. 12, n. 2, p. 457-459, 2014.

MILLER, D. Consumo como cultura material. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 13, n. 28, p. 33-63, jul./dez. 2007.

MUZZIO, H.; PAIVA JÚNIOR, F. G. A gestão na economia criativa e a identidade do indivíduo criativo inovador: em busca de uma convergência. In: ENCONTRO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 38., 2014, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Anpad, 2014.

NASCIMENTO, A. M. Curso de direito do trabalho. 22. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

NETO, J. F.; OCANHA, K. L.; SILVA, P. C.; BRUSAMOLIN, V.; WEINERT, W. R. Desenvolvimento de um aplicativo móvel e web para gerenciamento de pedidos de delivery, entregas e pagamentos. Revista – Ciência é a minha praia, v.2, n. 1, p. 63-67, mar., 2017.

PAGÈS, M.; BONETTI, M.; GAULEJAC, V.; DESCENDRE, D. O poder das organizações. São Paulo: Atlas, 2008.

PEREIRA, C. R.; SILVA, S. R. “Como minha vida mudou depois dele”: sobre as implicações do consumo de smartphones no cotidiano de mulheres de classe popular. In: CONGRESSO INTERNACIONAL COMUNICAÇÃO E CONSUMO, 6., 2016, São Paulo. Anais... São Paulo: COMUNICON, 2016.

SANTOS, M. D.; SANTOS, L. D.; POLACINSKI, E.; GUESSI, N. L.; PATIAS, J. Precificando de forma estratégica: um estudo junto as empresas do ramo delivery de alimentos em um município gaúcho. In: 4º ECOINOVAR, 2015, Santa Maria. Anais... 4º ECOINOVAR, 2015.

SLATER, D. Cultura do consumo & modernidade. São Paulo: Nobel, 2002.

STANDING, G. O Precariado: a nova classe perigosa. Belo Horizonte: Autêntica

Editora, 2013.

STEFFEN, C. Comunicação, Publicidade, Indústria Criativa e Empreendedorismo: problematizando e construindo um projeto de pesquisa sobre suas interfaces. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA EM COMUNICAÇÃO, 5., 2013, Santa Maria. Anais... Santa Maria, 2013.

TECHTUDO. O que é iFood? Saiba como funciona o app de delivery. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

TELECO. Inteligência em Telecomunicações. Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2017.

TOSTA, T. L. D. Antigas e novas formas de precarização do trabalho: o avanço da flexibilização entre profissionais de alta escolaridade. 2008. 272 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Departamento de Sociologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

TRENTMANN, F. The making of the consumer: knowledge, power and identity in the modern world. Oxford: Berg Publishers, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.22398/2525-2828.41034-46

A Revista está listada nos seguintes indexadores e repositórios:

LATINDEX: https://www.latindex.org

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: http://www.periodicos.capes.gov.br

DOAJ - https://goo.gl/f862GM

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras - http://diadorim.ibict.br/handle/1/1649

Sumarios.org - https://goo.gl/AJe9GY

LatinREV - Rede Latinoamericana de revistas acadêmicas do campo das ciências sociais e humanidades - http://flacso.org.ar/latinrev/ 

REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) - https://www.redib.org/

____________

ESPM Rio
Rua do Rosário 90 - Centro - Rio de Janeiro - 20.041-002 - RJ
revistadcec-rj@espm.br
ISSN 2525-2828 

 

Licença Creative Commons

A Diálogo com a Economia Criativa está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.