Vai garota: o empreendedorismo feminino na construção da imagem da marca Itaú

Carolina Fabris Ferreira, Bruno Vasconcelos

Resumo


O presente artigo analisa como as empresas adotam temas acerca da responsabilidade social, cidadania e ativismos como estratégia mercadológica para construir a imagem de suas marcas, numa tentativa de atração e fidelização dos consumidores. Para tal, focamos na construção da marca Itaú, que, ao longo dos anos, foi se afastando da retórica que enfatizava a tecnologia presente em seus produtos e serviços, para se aproximar de causas reivindicadas por movimentos sociais. De forma mais precisa, nossa análise recai sobre as associações entre o sujeito neoliberal e o protagonismo feminino a partir do programa “Itaú Mulher Empreendedora”. O corpus de análise consistiu na plataforma digital do programa e nos materiais ali presentes, nos quais se pode observar que a mulher empreendedora que reforça a marca Itaú passa por diversas características do discurso do sujeito neoliberal. É uma mulher que inova, se reinventa, se reergue, busca seus sonhos. Assim, o programa busca associar o Itaú ao protagonismo feminino e ao empreendedorismo, ao mesmo tempo em que oferece às clientes financiamentos e demais operações de crédito.


Texto completo:

PDF

Referências


BEZERRA, G. M. P.. Responsabilidade Social Empresarial e/ou retórica publicitária?. In: XXIX Congreso de la Asociación Latinoamericana de Sociología, 2013, Santiago.

BOLTANSKI, L.; CHIAPELLO, È. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

CASAQUI, Vander. Abordagem crítica da cultura da inspiração: produção de narrativas e o ideário da sociedade empreendedora. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação | E-compós, Brasília, v.20, n.2, maio/ago. 2017

DARDOT, P.; LAVAL, C. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

FONTENELLE, I.A. Construção e desconstrução de fronteiras e identidades organizacionais: história e desafios do mcdonald’s. Revista de administração de empresas , v. 47, p. 60-70, 2007.

__________________Cultura do consumo: fundamentos e formas contemporâneas. 1a. Ed. Rio de janeiro: fgv, 2017. V. 1. 220p.

FRASER, N. Feminism, capitalism and the cunning of history. New Left Review. nº56, 2009.

________, N. Feminism, Capitalism, and the Cunning of History - An Introduction. Working Papers Series. Fondation Maison des sciences de l’homme. n°17, 2012.

GRACIOSO, Francisco. Propaganda institucional. Nova arma estratégica da empresa. São Paulo: Atlas, 2002.

KLEIN, N. Sem logo: a tirania das marcas em um planeta vendido. Rio de Janeiro: Record, 2002.

LIMA, S. F.; GONCALVES, G. M. P. . Publicidade, Relações Públicas e algumas apropriações discursivas. O caso do Banco Itaú.. Temática - Revista eletrônica de publicação mensal, v. 13, p. 76-93, 2017.

MEDEIROS, F. L. S. Feminismo e neoliberalismo na contemporaneidade: uma “nova razão” para o movimento de liberação das mulheres? Teoria & Pesquisa: Revista de Ciência Política: v. 26, n. 3, 2017.

MERTEN, L.R. Moda, consumo e biossociabilidade: convocações para a gestão do corpo diferente em narrativas publicitárias de moda. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-graduação em Comunicação e Práticas de Consumo, Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo, 2017.

OLIVEIRA, C. V. A. O discurso da responsabilidade social na estratégia corporativa: valorização da marca institucional. Contemporânea. Ed.19, Vol. 10, n1. 2012.

PATRIOTA, K. R. M. P.; ANSELMO, B . Isso muda o mundo: intersecções entre estratégias de construção de marca e a noção de ethos discursivo a partir da campanha do Itaú. In: Congresso Internacional em Comunicação e Consumo, 2016, São Paulo. Anais do Comunicon 2016. São Paulo: ESPM, 2016. v. 1

ROCHA, M. E. M. A Nova Retórica do Capital: A Publicidade Brasileira em Tempos Neoliberais. São Paulo: UNESP, 2010.

ROTTENBERG, C. The Rise of Neoliberal Feminism. Cultural Studies, 2013. Disponível online em < http://dx.doi.org/10.1080/09502386.2013.857361>

SENNETT, R. A corrosão do caráter: consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2007.

VIDAL, De. M. M.. Gestão de Marcas: o espaço da comunicação organizacional nos processos de branding. In: XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2015, Rio de Janeiro. ANAIS 2015 - Intercom, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.22398/2525-2828.41257-71

A Revista está listada nos seguintes indexadores e repositórios:

LATINDEX: https://www.latindex.org

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: http://www.periodicos.capes.gov.br

DOAJ - https://goo.gl/f862GM

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras - http://diadorim.ibict.br/handle/1/1649

Sumarios.org - https://goo.gl/AJe9GY

LatinREV - Rede Latinoamericana de revistas acadêmicas do campo das ciências sociais e humanidades - http://flacso.org.ar/latinrev/ 

REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) - https://www.redib.org/

____________

ESPM Rio
Rua do Rosário 90 - Centro - Rio de Janeiro - 20.041-002 - RJ
revistadcec-rj@espm.br
ISSN 2525-2828 

 

Licença Creative Commons

A Diálogo com a Economia Criativa está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.