Consumo e sociabilidade numa feira de brechós no coração do subúrbio carioca

Jorgiana Melo de Aguiar Brennand

Resumo


O presente trabalho faz uma análise da Feira das Brecholeiras, realizada semanalmente, embaixo do viaduto Negrão de Lima, em Madureira, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. Trata-se de um estudo focado no  consumo e na sociabilidade presente nesse evento, que comercializa todo tipo de mercadoria. De bijuterias a roupas de grife. A feira surgiu em 2012 como um encontro de dez mulheres, que se reuniam na estação de trem de Madureira, apenas para “desapego” de roupas que entulhavam os armários. O evento cresceu e hoje os números impressionam: são cerca de 100 expositores a cada edição, além de um cadastro de reserva formado por aproximadamente 800 interessados, um cartão de crédito (Brecholeira’s Card) para facilitar as vendas e uma página no Facebook com mais de 112 mil membros. Aliando abordagem etnográfica, por meio da observação participante, e pesquisa bibliográfica, pretende-se mostrar como esse evento, que reúne principalmente vendedoras, que se intitulam donas de brechós e sacoleiras ao mesmo tempo - daí a explicação para o nome da feira - é capaz de atrair frequentadores que buscam artigos usados, num espaço considerado de pechincha. Um dos objetivos do trabalho é analisar o consumo como um fenômeno cultural e mediador de relações sociais e a sociabilidade como elemento central nas relações entre as brecholeiras e os frequentadores da feira.


Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Regina. A capital contaminada: a construção da identidade nacional pela negação do “espírito carioca”. In: LOPES, Antônio Herculano (Org.). Entre Europa e África: a invenção do carioca. Rio de Janeiro: TOPBOOKS (Edições Casa de Rui Barbosa), 2000.

AUGÉ, Marc. Não Lugares – introdução a uma antropologia da supermodernidade. 9. ed. Campinas (SP): Papirus, 2012.

BARBOSA, Lívia. Comida e sociabilidade no prato do brasileiro. p: 39-59. In: BARBOSA, Lívia; PORTILHO, Fátima; VELOSO, Letícia. (org.) Consumo: Cosmologias e sociabilidades. Rio de Janeiro: Mauad X; Seropédica: EDUR, 2009.

__________. Sociedade de consumo. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo – a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

CAMPBELL, Colin. Eu compro, logo sei que existo: as bases metafísicas do consumo moderno, 2004, p: 47-64. In: BARBOSA, Lívia; CAMPBELL, Colin (org.) Cultura, consumo e identidade. 6ª reimpressão. Rio de Janeiro, FGV, 2017.

BARKI, José. Algumas considerações sobre o subúrbio. In: Revista da FAU UFRJ, Rio de Janeiro, número 2, 2009. p: 26-35.

CAIAFA, Janice. Aventura das cidades: ensaios e etnográfica. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

CLANCLINI, Néstor Garcia. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. 7. ed. Rio de Janeiro: editora UFRJ, 2008.

CANEVACCI, Massimo. A cidade polifônica: ensaio sobre a antropologia da comunicação urbana. São Paulo: Studio Nobel, 2004.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. 1: Artes de Fazer. 19. ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 19994.

CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário etimológico da Língua portuguesa. 4.ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2010.

CORRÊA, Sílvia Borges; DUBEUX, Veranise Jacubowski. Consumo e sociabilidade na Lavradio, a rua dos antiquários. In: Revista INTERIN, Universidade Tuiuiti do Paraná, Curitiba, v. 24, n. 2, jul./dez. 2019.

FEATHERSTONE, Mike. Cultura de Consumo e Pós-Modernismo. São Paulo: Studio Nobel, 1995.

FERNANDEZ, Annelise Caetano Fraga e SANTOS, Miriam de Oliveira. Madureira, capital dos subúrbios (1940-1960): carnaval e comércio na produção de uma comunidade imaginada. In: Iluminuras, Porto Alegre, v. 16, n. 37, p.11-31, jan/jun. 2015.

Fernandez, Annelise Caetano Fraga. Assim é o meu subúrbio: o projeto de dignificação dos subúrbios entre as camadas médias suburbanas de 1948 a 1957. 115 p. Dissertação de Mestrado em Sociologia – IFCS – UFRJ. Rio de Janeiro: 1995.

FREITAS, Ricardo Ferreira; LINS, Flávio; SANTOS, Maria Helena dos. Brasil em oito minutos: a (re)apresentação do país na cerimônia de encerramento da Olimpíada 2012. In: XXII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação em Comunicação (Compós), Salvador (BA), jun./2013. Anais da XXII COMPÓS. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/biblioteca_2035.pdf, acessado em 14/09/2014.

HAESBAERT, Rogério. Viver no Limite: território e multi/transterritorialidade em tempos de in-segurança e contenção. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.

JESUS, Diego Santos Vieira de. Saudade de mim: patrimônio cultural e economia criativa na cidade do Rio de Janeiro. p: 157-177. In: FIGUEIREDO, João Luiz de; JESUS, Diego Santos Vieira de (Org.). Cidades criativas: aspectos setoriais e territoriais. Rio de Janeiro: E-papers, 2017.

KRIEGER, Fernando. Por dentro dos acervos: “Cidade maravilhosa” I: André Filho e a saga de uma marcha-hino. In: Site Instituto Moreira Salles (IMS), 27/01/2015. Disponível em: https://ims.com.br/por-dentro-acervos/cidade-maravilhosa-i-andre-filho-e-a-saga-de-uma-marcha-hino/. Acesso: 12/09/2019.

LINS, Antônio José Pedral Sampaio. Subúrbios e Periferia: a ferrovia na construção da região metropolitana do Rio de Janeiro. In: Revista da FAU UFRJ, Rio de Janeiro, número 2, 2009. p: 16-25.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Etnografia como prática e experiência. In: Horizontes antropológicos, vol. 15, nº 32, jul/dez. 2009, p: 129-156.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva: forma e razão de troca nas sociedades arcaicas. Lisboa: Edições 70, 2001.

MATTOSO, Rafael. Um novo olhar sobre os entornos da cidade. In: Revista da FAU UFRJ, Rio de Janeiro, número 2, 2009. p: 36-41.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Cidades visíveis, cidades sensíveis, cidades imaginárias. In: Revista Brasileira de História, vol. 27, n. 53, São Paulo, Jan./Jun. 2007. p: 11-23. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-01882007000100002. Acesso: 14 set. 2019.

SIMMEL, Georg. A sociabilidade: questões fundamentais da sociologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

TRAVANCAS, Isabel. Fazendo etnografia no mundo da comunicação. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (orgs). Métodos e técnicas de pesquisa em Comunicação. 2 ed. 9. Reimpr. São Paulo: Atlas, 2017.

TUAN, Yi-Fu. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo: Difel, 1983.

VELHO, Gilberto. Um antropólogo na cidade: ensaios de antropologia urbana. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.22398/2525-2828.51356-72

A Revista está listada nos seguintes indexadores e repositórios:

LATINDEX: https://www.latindex.org

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: http://www.periodicos.capes.gov.br

DOAJ - https://goo.gl/f862GM

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras - http://diadorim.ibict.br/handle/1/1649

Sumarios.org - https://goo.gl/AJe9GY

LatinREV - Rede Latinoamericana de revistas acadêmicas do campo das ciências sociais e humanidades - http://flacso.org.ar/latinrev/ 

REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) - https://www.redib.org/

____________

ESPM Rio
Rua do Rosário 90 - Centro - Rio de Janeiro - 20.041-002 - RJ
revistadcec-rj@espm.br
ISSN 2525-2828 

 

Licença Creative Commons

A Diálogo com a Economia Criativa está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.