Consumo, sociabilidade e memória no processo de ressignifcação identitária: o caso da Feira de Refugiados Chega Junto.

Conceição Souza

Resumo


 

Resumo:

A sociedade contemporânea apresenta uma complexidade socioeconômica e política que impacta, sobremaneira, na economia e na rotina de várias sociedades. Neste cenário, o imigrante-refugiado se apresenta como um sujeito híbrido por excelência, símbolo do sujeito contemporâneo, ao mesmo tempo nativo e estrangeiro, cosmopolita e de lugar nenhum, se configurando como um objeto de reflexão para entender os fenômenos sociais e políticos que marcam a contemporaneidade. As pessoas consomem para fins de reprodução física, social e identitária. Neste artigo, apresento a Feira de Refugiados Chega Junto como um locus de consumo (material e imaterial), interações e sociabilidades. Na Feira, para além do viés transacional, são desenvolvidas múltiplas sociabilidades entre os vários atores sociais presentes. Isto ocorre tendo como pano de fundo, paradigmas já existentes, tangibilizados por regras e códigos próprios, presentes no cotidiano dos moradores da cidade. Enquanto preparam os pratos típicos, os refugiados são invadidos por lembranças de uma vida não mais possível e independentemente da questão comercial, este ato é, para eles, uma forma de reconstituir vínculos perdidos. Mesmo fragmentada e sujeita a variações, a memória dá a estas pessoas, um sentido de continuidade e coerência no tempo. Imersos num novo tecido social, surgem novas identidades, formas de experiências, aprendizados e sociabilidades.  Aliada a pesquisa bibliográfica, será realizado o registro de fatos e impressões, resultante da observação participante da Feira de Refugiados Chega Junto, localizada no Rio de Janeiro.

Palavras-chave: Identidade, Consumo, Memória, Sociabilidade, Interação.


Texto completo:

PDF

Referências


Referências:

BARBOSA, Lívia. Sociedade de Consumo. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70: 2007.

BAUMAN, Zigmunt. Globalização: As consequências humanas. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

BECK, Ulrich. O que é globalização? Equívocos do globalismo, resposta à globalização. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas Híbridas. São Paulo: EDUSP, 2015.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: Capitalismo e esquizofrenia. Vol. 5: Ed. 34, 1997.

DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O mundo dos bens: para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ,

DURKHEIM, Émile. As formas elementares da Vida Religiosa. São Paulo: Martins Fontes, 200333.

HAJII, ElHajii. Rio de Janeiro-Montreal: conexões transnacionais/ruídos interculturais. In: Revista Fronteiras – estudos midiáticos 12(3): 177-184, setembro/dezembro 2010.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2004.

HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós-Modernidade, Rio de Janeiro: DP&A,

________. Cultura e Representação. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2016.

________. Da Diáspora: Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte, 2009.

________. Cultura e Representação. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2016.

MAFFESOLI, Michel. O Tempo Retorna: formas elementares da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

________. O tempo das Tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de

massa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1998.

McCRACKEN, Grant. Cultura e Consumo: novas abordagens ao caráter simbólico dos bens e das atividades de consumo. Rio de Janeiro: MAUAD, 2003.

. MONTANARI, Massimo. Comida como cultura. São Paulo: SENAC, 2013.

RASSE, Paul. La Diversité Culturelle. Les Essentiels d`Hermes. Paris: CNRS Èdition, 2015.

ABDLMALEK, Sayad. A imigração ou os paradoxos da alteridade. São Paulo: EDUSP. 1998.

SIMMEL, Georg. Questões Fundamentais da Sociologia: indivíduo e sociedade: Zahar, 2006.

________. Sociologia. Org. Evaristo de Moraes Filho. São Paulo: Ática, 1983.

Endereços eletrônicos:

https://nacoesunidas.org (acessado em 09/04/2018)

http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/component/tags/tag/conare-comite-nacional-para-os-refugiados (acessado em 09/04/2018)

https://m.facebook.com/caritasrj/posts/651278165054902 (acessado em 03/04/2018)

https://juntalocal.com/ (acessado em 03/04/2018)

http://www.caritas-rj.org.br/ (acessado em 03/04/2018)




DOI: http://dx.doi.org/10.22398/2525-2828.51373-90

A Revista está listada nos seguintes indexadores e repositórios:

LATINDEX: https://www.latindex.org

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: http://www.periodicos.capes.gov.br

DOAJ - https://goo.gl/f862GM

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras - http://diadorim.ibict.br/handle/1/1649

Sumarios.org - https://goo.gl/AJe9GY

LatinREV - Rede Latinoamericana de revistas acadêmicas do campo das ciências sociais e humanidades - http://flacso.org.ar/latinrev/ 

REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) - https://www.redib.org/

____________

ESPM Rio
Rua do Rosário 90 - Centro - Rio de Janeiro - 20.041-002 - RJ
revistadcec-rj@espm.br
ISSN 2525-2828 

 

Licença Creative Commons

A Diálogo com a Economia Criativa está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.