https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/issue/feed Diálogo com a Economia Criativa 2022-06-18T11:01:39-03:00 Revista Diálogo com a Economia Criativa revistadcec-rj@espm.br Open Journal Systems Diálogo com a economia criativa https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/394 Economia criativa e turismo em áreas patrimoniais: processos e relacionamentos no Centro Histórico de São Luís, Maranhão 2022-05-26T18:01:50-03:00 Karoliny Diniz Carvalho karolinydiniz@gmail.com <p>Na contemporaneidade, o interesse pelo patrimônio cultural em suas múltiplas vertentes acentua a implantação de projetos de valorização e revitalização de áreas urbanas e patrimoniais como foco nos processos de inovação, nas indústrias criativas e na articulação entre os distintos atores sociais. O objetivo principal do artigo consiste em promover uma discussão teórica e inicial sobre as ações de fomento aos setores criativos na área patrimonial da cidade de São Luís, bem como tecer reflexões em torno da valorização do centro histórico com o turismo cultural e criativo. A metodologia adotada consistiu numa abordagem qualitativa por meio da pesquisa bibliográfica e documental sobre as ações governamentais de fomento aos setores criativos no centro histórico de São Luís, com vistas a compreender os processos e os relacionamentos relacionados ao empresariamento urbano da área patrimonial e seu agenciamento por meio dos setores criativos em articulação com o turismo cultural. O centro histórico de São Luís apresenta algumas ações convergentes de estímulo aos setores criativos, o que nos leva a afirmar que a área dispõe de atratividade para fortalecer os setores culturais e promover ações compartilhadas de valorização dos sabres e fazeres tradicionais como vias para o desenvolvimento. Ressaltamos a necessidade de captação de negócios comunitários inclusivos nas áreas das culturas populares e da gestão de governança que possa articular os diferentes atores sociais- governos, classe criativa e comunidades em torno de objetivos comuns.</p> 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Karoliny Diniz Carvalho https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/399 Gamificação e turismo: uma proposta de inovação e co-criação de experiências em destinos turísticos a partir de um videogame 2022-05-26T18:01:50-03:00 Karine Valesca de Freitas Verdugo karinevfv@hotmail.com Miriane Sigiliano Frossard miriane.frossard@ich.ufjf.br Lucas Gamonal Barra de Almeida lucasgamonal@hotmail.com <p class="Default">O objetivo desse trabalho é sugerir uma possível utilização de videogames na co-criação da experiência de viagem, a qual se daria por meio do artifício da gamificação dos atrativos/destinos. Para tanto, foi analisada a franquia de jogos de simulação <em>The Sims 3 – Volta ao mundo</em>, demonstrando que ao serem utilizadas as ferramentas do <em>game</em>, transpondo a experiência virtual à real, atrativos ou destinações poderiam oferecer novas experiências para novas gerações de visitantes. Assim, o jogador poderia, por intermédio do jogo em seu <em>smartphone</em>, experimentar as aventuras na realidade, além de desvendar mistérios e desafios das localidades. O trabalho se baseia na teoria da gamificação, a partir da qual mapeia-se a expansão com vistas a sugerir possibilidades de experiências em atrativos turísticos reais localizados no Egito, fornecendo motivação, interação, narrativas e recompensas ao jogador-turista. Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo e de objetivos exploratórios e descritivos.</p> 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Karine Valesca de Freitas Verdugo, Miriane Sigiliano Frossard, Lucas Gamonal Barra de Almeida https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/381 Turismo & pandemia: o repensar do turismo nos Vales da Uva Goethe (SC) 2022-06-18T11:01:39-03:00 Mirna de Lima Medeiros mirnadelimamedeiros@gmail.com Adriana Carvalho Pinto Vieira dripvieira@gmail.com Hellen Vitória Silva helvitsil@hotmail.com <p>O Turismo, ao mesmo tempo que foi um dos responsáveis pela disseminação da COVID-19, foi também um dos mais impactados pelas medidas necessárias para sua contenção (como fechamentos, barreiras sanitárias, limitações de atividades e público, etc.). Por outro lado, pode ser parte da solução para reparar economias em um contexto pós-pandêmico. Essa oportunidade, contudo, vem acompanhada de novas demandas do consumidor, bem como do meio acadêmico que já vinha apresentando algumas críticas com relação a determinados modelos de massa. Em decorrência de tais demandas, o reinício do Turismo tende a priorizar destinos mais próximos dos núcleos emissores de turistas e que oportunizem vivências em espaços amplos e, de preferência, ao ar livre. Diante desse cenário, analisar como estão destinos com essa característica e se estão se preparando para esse momento (que ainda é futuro no país), pode ser relevante. Assim, o presente trabalho objetivou verificar as alterações decorrentes da pandemia da COVID-19 no enoturismo dos Vales da Uva Goethe. Essa região detém indicação geográfica para vinhos e espumantes, elaborados com uma uva híbrida e endêmica, e se situa entre o litoral e a serra catarinense podendo ser uma alternativa de destino dentro das tendências apontadas. O estudo de caso exploratório-descritivo teve coleta de dados por meio de análise documental, entrevistas e observação direta in loco. Os resultados apontam que o período de pandemia, apesar de ter trazido aumento de custos e períodos de fechamento, oportunizou um repensar e até renovar, já que se encontraram novas atividades, parcerias público-privadas e reformas. </p> 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Mirna de Lima Medeiros, Adriana Carvalho Pinto Vieira, Hellen Vitória Silva https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/408 Carnaval e turismo criativo: O case Bloco da Ovelha em Caxias do Sul-RS [Brasil] 2022-05-26T18:01:51-03:00 Vanessa Cristina Kukul vckukul@gmail.com Susana de Araújo Gastal susanagastal@gmail.com <p>O turismo e a cultura foram os setores mais afetados pela Pandemia Covid19, que alcançou o Brasil em março de 2020. O Carnaval, manifestação popular e urbana, com importante representatividade cultural e turística, esteve entre as manifestações mais afetadas, razão pela qual as agremiações têm procurado estabelecer novas estratégias como forma de sobrevivência da festividade. Nestes termos, este artigo tem como objetivo compreender as estratégias do Bloco da Ovelha, agremiação carnavalesca que desfila em Caxias do Sul, no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil, considerando os tempos de pandemia, para recuperação dos negócios. Para tal, os procedimentos de pesquisas, qualitativos e exploratórios, do tipo estudo de caso, envolveram pesquisa bibliográfica e entrevista semiestruturada com o diretor artístico do Bloco. Resultados preliminares indicam que os gestores têm proposto a realização de oficinas de dança e percussão, moda e artesanato, entre outras, abrangendo diferentes públicos e diversidade de saberes e fazeres artísticos associados ao Carnaval. A realização das oficinas dialoga com o turismo criativo, contribuindo para o seu fomento e para sustentabilidade do Bloco, assim como da cadeia produtiva decorrente.</p> 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Vanessa Cristina Kukul, Susana de Araújo Gastal https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/400 "Nos Passos da Poesia de São José do Egito" (Pernambuco/Brasil): o potencial da poesia para o turismo criativo 2022-05-26T18:01:51-03:00 Rebeca Pacheco Laranjeira bealaranjeiraa@gmail.com Marcelo Vilela de Almeida marcelovilela@usp.br <p>Em Pernambuco, a atividade turística concentra-se no litoral sul do estado, com foco no turismo de sol e mar. Apesar da diversidade cultural pernambucana, na maioria das cidades do interior o turismo ainda está se desenvolvendo. Visando esse potencial da região interiorana e tendo como base a Economia Criativa, buscou-se analisar as possibilidades de desenvolvimento do Turismo Criativo, mais especificamente na cidade de São José do Egito, Sertão do Pajeú (Pernambuco), onde surgiu o projeto audiovisual "Nos Passos da Poesia de São José do Egito". Neste trabalho, apresenta-se uma análise dos discursos das e dos poetas que participaram como entrevistadas, para entender as relações da poesia com a cidade e da cidade com a poesia, e as oportunidades para o desenvolvimento turístico a partir de tais relações.</p> 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Rebeca Pacheco Laranjeira, Marcelo Vilela de Almeida https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/402 Cultura e desenvolvimento: a participação da mulher no artesanato em Igrejinha/RS 2022-05-26T18:01:51-03:00 Sandra Andréa da Costa sandradacosta232@gmail.com Mary Sandra Guerra Ashton marysga@feevale.br <p>Igrejinha é cidade localizada no Rio Grande do Sul, colonizada por alemães que mantém as tradições e influências culturais dos imigrantes nos seus hábitos e costumes cotidianos. Em especial, na <em>Oktoberfest</em>, no<em> Kerbfest</em> e no Igrejinha Mix festejos que atraem milhares de turistas nacionais e internacionais, as manifestações culturais germânicas são ressaltadas por meio da oferta de produtos e serviços originados nos saberes e fazeres tradicionais e característicos dos colonizadores, como é o caso do artesanato desenvolvido em sua maioria por mulheres. O objetivo deste estudo é analisar as ações empreendedoras das mulheres de Igrejinha no campo do artesanato e a geração de desenvolvimento socioeconômico para as artesãs. Para tanto, se utilizou o método exploratório descritivo, numa pesquisa de natureza básica e de cunho qualitativo. Entre os resultados identificou-se que as ações empreendedoras das artesãs são geradoras de desenvolvimento social. Porém, em relação ao desenvolvimento econômico das artesãs, compreendeu-se a necessidade de ações coletivas específicas e de políticas públicas municipais.</p> 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Sandra Andréa da Costa https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/401 The experience of UNESCO Creative Cities in the context of COVID-19: a case study of Brazilian cities 2022-05-26T18:01:51-03:00 Ana Flávia Machado afmachad@cedeplar.ufmg.br Alice Demattos Guimarães Demattos.guimaraes.alice@hvl.no Rodrigo Cavalcante Michel Cavalcante Michel rod.cmichel@gmail.com Gabriel Vaz de Melo gabrielvazdemelo@gmail.com Julia Papini Bittencourt julia.papini.b@gmail.com <p>This paper aims to analyze Curitiba and Florianopólis, the two oldest UNESCO creative cities in Brazil, in a comparative approach. The propose is to identify in which extent the UNESCO labelling process has contributed to promote the chosen modality and related sectors. Moreover, given the current global pandemic, this study also draws a portrait of before and after COVID-19, especially when it comes to the tourism enterprise. For that, we use secondary data as well as primary data to deal with both cities case studies. Our secondary sources tackles labor market data and tourism flow contextualized to the two territories, exploring the Network's potential, achievements and challenges after the label granting added up the pandemic setting.</p> 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Ana Flávia Machado, Alice Demattos Guimarães, Rodrigo Cavalcante Michel Cavalcante Michel, Gabriel Vaz de Melo, Julia Papini Bittencourt https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/410 Creative Districts and Creative Tourism 2022-05-26T18:01:52-03:00 Jorge Piqué jorgepique@gmail.com Greg Richards Richards.g@buas.nl <p class="western" style="margin-bottom: 0.28cm; line-height: 150%;">This paper presents a conversation between <span style="color: #000000;"><span style="font-size: small;"><span lang="en-GB">Greg Richards</span></span></span> and <span style="color: #000000;"><span style="font-size: small;"><span lang="en-GB">Jorge Piqué</span></span></span> on the development of creative districts and their links to creative tourism. The discussion ranged from the genesis of creative districts and creative tourism to contemporary challenges of creative placemaking. It includes a consideration of the development of cultural tourism, and how creative tourism emerged as a separate field of analysis in the new Millennium. As places have sought to distinguish themselves in an increasingly competitive global market, they have turned to creativity as a source of inspiration. Tourists tired of standardised products and crowded cultural sites have sought out the more localised experiences provided by creative districts and creative tourism. Creative districts have therefore become a vital tool for placemaking, providing access to the ‘extraordinary everyday’ and generating new models of creative tourism.</p> 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Jorge Piqué, Greg Richards https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/416 A imagem da capa #19 2022-05-26T18:01:49-03:00 Isabella Vicente Perrotta isabella@hybris.com.br 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Isabella Vicente Perrotta https://dialogo.espm.br/revistadcec-rj/article/view/415 Turismo, Indústrias e Cidades Criativas e as Novas Economias 2022-05-26T18:01:49-03:00 Isabella Vicente Perrotta isabella@hybris.com.br Valéria Guimarães valeriaguimaraes@id.uff.br 2022-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Isabella Vicente Perrotta, Valéria Guimarães