Economia da cultura e economia criativa: análise dos conceitos e contribuição aos estudos territoriais

Gustavo da Silva Diniz, Auro Aparecido Mendes

Resumo


As relações entre território, criatividade, economia e cultura são múltiplas. As dinâmicas econômicas e territoriais contemporâneas são cada vez mais influenciadas por elementos intangíveis e exigem a construção e o estudo de conceitos que apreendam estes novos nexos territoriais e econômicos. Nesta perspectiva, o presente artigo analisa os conceitos de Economia da Cultura e Economia Criativa, com vistas à contribuir com os estudos territoriais. O artigo analisa as relações históricas entre economia e criatividade, afirmando que a referida relação é anterior a formulação dos conceitos de Economia da Cultura e Economia Criativa e que não se restringe as atividades e processos englobados pelos conceitos citados.  Na análise dos conceitos de Economia da Cultura e Economia Criativa, são examinados os estudos seminais e os traços característicos destes campos, bem como são identificadas as principais abordagens e contextos de uso dos conceitos e a crescente relevância destes dentro da economia contemporânea e nas estratégias de desenvolvimento territorial. Dentro do contexto de análise dos referidos conceitos, examina-se também formulações sobre a Classe Criativa, identificando-se diferentes abordagens teóricas a relacionar os temas trabalho e criatividade. Desta forma, busca-se contribuir e oferecer subsídios para os estudos das relações entre território, criatividade, economia e cultura

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. A Indústria Cultural. In: COHN, G. (Org.), Comunicação de massa e Indústria Cultural. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1978.

BAUMOL, W.; BOWEN, W. Performing arts - the economic dilemma: a study of problems common to theater, opera, music and dance. New York: Twentieth Century Fund, 1966.

BEM, J.; GIACOMINI, N. Gastos em cultura no Rio Grande do Sul e a delimitação de áreas homogêneas em municípios selecionados no ano de 2007. In: VII ENABER – VII Encontro Nacional da Associação Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos. São Paulo, 9 a 11 de setembro de 2009.

BENHAMOU, F. A Economia da Cultura. Cotia, Ateliê Editorial, 2007.

BENJAMIN, W. A Obra de Arte na Era de sua Reprodutibilidade Técnica. In: BENJAMIN, W. Magia e Técnica, Arte e Política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras escolhidas, v.1. São Paulo, Brasiliense, 1987.

BRASIL. Economia Criativa cresce mais que o PIB no Brasil, 4, fev., 2013. Disponível em: . Acesso em: 04, jun., 2015.

DE MASI, D. Criatividade e Grupos Criativos. Rio de Janeiro, Sextante, 2003

FLORIDA, R. A Ascensão da Classe Criativa. Porto Alegre, L&PM, 2011.

FURTADO, C. Criatividade e Dependência na Civilização Industrial. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978.

FURTADO, C. In: FURTADO, R. (org.) Ensaios sobre Cultura e o Ministério da Cultura. Rio de Janeiro, Contraponto; Centro Internacional Celso Furtado, 2012.

GIBSON, C.; KONG, L. Cultural Economy: a critical review. Progress in Human Geography, 29, 5 (2005) pp. 541-561.

HADDAD, F. Em defesa do socialismo. Petrópolis, Editora Vozes, 1998.

HOWKINS, J. The creative economy: how people make money from ideas. London, Penguin Press, 2001.

HOWKINS, J. Economia Criativa. São Paulo, M. Books do Brasil Editora Ltda, 2013.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Sistema de Informações e Indicadores Culturais 2007-2010. Rio de Janeiro, IBGE, 2013

MARSHALL, A. Principle of Economics. New York, Macmillan, 1891.

MOKYR, J. The lever of Riches: Technological Creativity and Economic Progress. Nova York: Oxford University Press, 1990.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo, Martin Claret, 2002.

MARX, K. Capítulo VI inédito de O capital, resultados do processo de produção imediata. São Paulo, Centauro, 2004.

MARX, K.; ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. Estudos Avançados, São Paulo, v. 12, n. 34, dez. 1998.

OSTROWER, F. Criatividade e Processos de Criação. Petrópolis, Vozes, 2011.

REIS, A. Economia da Cultura e Desenvolvimento Sustentável: o caleidoscópio da cultura. Barueri, Manole, 2007.

REIS, A. Cidades criativas: análise de um conceito em formação e da pertinência de sua aplicação à cidade de São Paulo. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo/USP, 2011.

ROMER, P. Endogenous Technical Change. Journal of Political Economy, 98(5), 1990, p.71-102.

SCHUMPETER, J. Capitalismo, Socialismo e Democracia. Rio de Janeiro, Zahar, 1984.

SCOTT, A. A New Map of Hollywood: The Production and Distribuction of American Motion Pictures. Regional Studies, v.36, n.9, dec., 2002.

TOLILA, P. Cultura e Economia: problemas, hipóteses, pistas. São Paulo, Iluminuras, 2007.

UNITED NATIONS CONFERENCE ONT TRADE AND DEVELOPMENT (UNCTAD). Creative Economy Report 2010. Genebra, UNCTAD, 2010.

VIVANT, E. O que é uma Cidade Criativa?. São Paulo, Editora Senac São Paulo, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.22398/2525-2828.2625-40

A Revista está listada nos seguintes indexadores e repositórios:

LATINDEX: https://www.latindex.org

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: http://www.periodicos.capes.gov.br

DOAJ - https://goo.gl/f862GM

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras - http://diadorim.ibict.br/handle/1/1649

Sumarios.org - https://goo.gl/AJe9GY

LatinREV - Rede Latinoamericana de revistas acadêmicas do campo das ciências sociais e humanidades - http://flacso.org.ar/latinrev/ 

REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) - https://www.redib.org/

____________

ESPM Rio
Rua do Rosário 90 - Centro - Rio de Janeiro - 20.041-002 - RJ
revistadcec-rj@espm.br
ISSN 2525-2828 

 

Licença Creative Commons

A Diálogo com a Economia Criativa está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.