Teatro Musical no Rio de Janeiro: Uma pesquisa com consumidores cariocas

Amanda Rocha Mograbi, Alessandra Baiocchi Antunes Corrêa, Luís Alexandre Grubits de Paula Pessôa

Resumo


A indústria criativa ganhou espaço no contexto global nos últimos anos. O mercado de teatro musical, por sua vez, também cresceu e tal movimentação chegou aos países em desenvolvimento, incluindo o Brasil.  Os palcos cariocas e paulistanos receberam mais de 100 produções de diversos gêneros desde 2010. Diante deste cenário, este estudo investiga as oportunidades no mercado de teatro musical do Rio de Janeiro e propõe o seguinte questionamento: o que atrai o consumidor carioca a um espetáculo de teatro musical? Para tal, investiga conceitos da história do teatro musical, indústria criativa e marketing de experiência aliados a entrevistas qualitativas, tendo como foco as gerações X e Y. Como principais achados podemos destacar a necessidade de maior divulgação em meios que chamem a atenção do público jovem, especialmente da Geração Y, assim como maior atenção à política de preços e temática das peças. 


Texto completo:

PDF

Referências


ASHMAN, H.; MENKEN, A. Belle. In: Beauty and The Beast. 1991. Disponível em: . Acesso em: 5 de novembro 2017.

CARDOSO, A. B.; FERNANDES, A. J.; CARDOSO-FILHO, C. Breve história do Teatro Musical no Brasil, e compilação de seus títulos. Revista Música Hodie, Goiânia, V.16 - n.1, 2016, p. 29-44

ENCICLOPEDIA BRITANNICA. Vaudeville. Rio de Janeiro, 21 ago. 2017. Disponível em: . Acesso em: 06 de novembro de 2017.

ERNEST YOUNG Cultural times: The First Global Map of Cultural and Creative Industries. 2015, Disponível em: . Acesso em: 31 de outubro. 2017.

FIRJAN. Mapeamento da indústria criativa no Brasil. Rio de Janeiro, 2014 Disponível em: < http://www.firjan.com.br/economiacriativa/download/mapeamento-industria-criativa-2014.pdf>. Acesso em: 27 de junho. 2017.

_____________. Mapeamento da indústria criativa no Brasil. Rio de Janeiro, 2016 Disponível em: < http://www.firjan.com.br/EconomiaCriativa/pages/default.aspx >. Acesso em: 31 de outubro. 2017.

FREITAS FILHO, J. F. M. Com os séculos nos olhos - Teatro musical e expres- são política no Brasil, 1964-1979. Brasília, 2006. [386f.]. Tese (Doutorado em Literatura Brasileira) - Departamento de Teoria Literária e Literatura: Universidade de Brasília.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa Social. 5ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GODOY, Arlida Schmidt. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Rev.adm. empres., São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, abril. 1995. Disponível em: . Acesso em: 29 de outubro 2017.

HOWKINS, J. The Creative Economy: How People Make Money from Ideas. Londres: Penguin, 2001.

KENRICK, J. A History of the Musical Burlesque. Musicals101, Rio de Janeiro, 2003. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2017

___________. Musical Theater: A History. 2.ed. Nova Iorque: Bloomsbury, 2017.

LARSON, J. You’ll See. In: Rent. 1996. Disponível em: . Acesso em: 5 de novembro 2017.

MALHOTRA, Naresh Pesquisa de Marketing Uma orientação aplicada. 6.ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

NOBLE, S. M.; HAYTKO, D. L.; PHILLIPS, J. What drive college-age Generation Y consumers? Journal of Busineess Research, V62, 2009, p.617–628.

PENDLE, K. Eugene Scribe and French Opera of Nineteenth Century. The Musical Quaterly, V.57 - n.4, 1971, p. 535-561

PINE II, B. J.; GILMORE, J. H. Welcome to the experience economy. Harvard Business Review, 1998.

PINTEREST. Burlesco. Rio de Janeiro, 27 ago. 2017. Disponível em: . Acesso em: 27 de agosto de 2017.

RIMALOWER, B. Something wonderful: Top 10 Songs by Rodgers & Hammerstein. Playbill, Rio de Janeiro, 9 nov. 2017. Disponível em: . Acesso em: 9 de novembro de 2017.

RODGERS E HAMMERSTEIN. The Bios. Rodgers e Hammerstein, Rio de Janeiro, 22 set. 2017. Disponível em: < http://www.rnh.com/bio/167/Rodgers-%26-Hammerstein>. Acesso em: 22 de setembro de 2017.

_______________. Do-Re-Mi. In: The Sound of Music. 1959. Disponível em: . Acesso em: 5 de novembro 2017.

_______________. Getting to Know You. In: The King and I. 1951. Disponível em: . Acesso em: 5 de novembro 2017.

SCHEWE, C. D.; MEREDITH, G. Segmenting global markets by generational cohorts: determining motivations by age. Journal of Consumer Behaviour, V.04 – n.1, 2004, p.51–63.

SCHMITT, B. Experiential Marketing. Journal of Marketing Management, n.15, p. 53-67, 1999.

SOLOMON, Michael R. O Comportamento do Consumidor – Comprando, possuindo e sendo. 9.ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.

STROUSE, C.; CHARNIN, M. Tomorrow. In: Annie. 1977. Disponível em: . Acesso em: 5 de novembro 2017.

SUNG, T. K. The creative economy in global competition. Technological Forecasting and Social Change V.96, 2015, p. 89-91

THE BROADWAY LEAGUE. Broadway Season Statistics. Rio de Janeiro, 2017 Disponível em: < https://www.broadwayleague.com/research/statistics-broadway-nyc/>. Acesso em: 27 de junho. 2017.

THE ECONOMIST. Musical theatre: The tills are alive, maio. 2013. Disponível em: . Acesso em: 27 de junho. 2017.

UFRGS. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Atlas Econômico da Cultura Brasileira. Porto Alegre, 2017 Disponível em: . Acesso em: 31 de outubro 2017.

UK DEPARTMENT OF CULTURE, MEDIA AND SPORT & CREATIVE INDUSTRIES. Creative Industries Mapping Document. Londres, 1998 Disponível em: . Acesso em: 03 de outubro. 2017.

UNCTAD, UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT. Creative Economy Outlook and Country Profiles: Trends in international trade in creative business. Rio de Janeiro, 2015 Disponível em: . Acesso em: 27 de junho. 2017.

UNITED NATIONS. CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA COMÉRCIO E DESENVOLVIMENTO. Creative Economy Report 2010. Rio de Janeiro, 2010 Disponível em: . Acesso em: 27 de junho. 2017.

VIEIRA, V. A. As tipologias, variações e características da pesquisa de marketing. Revista da FAE: Curitiba, 2002.

VIEIRA, Valter Afonso; TIBOLA, Fernando. Pesquisa qualitativa em marketing e suas variações: trilhas para pesquisas futuras. Rev. adm. contemp., Curitiba, v.9, n.2, p.9-33, junho 2005. Disponível em: . Acesso em: 29 de outubro 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.22398/2525-2828.386-22

A Revista está listada nos seguintes indexadores e repositórios:

LATINDEX: https://www.latindex.org

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: http://www.periodicos.capes.gov.br

DOAJ - https://goo.gl/f862GM

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras - http://diadorim.ibict.br/handle/1/1649

Sumarios.org - https://goo.gl/AJe9GY

LatinREV - Rede Latinoamericana de revistas acadêmicas do campo das ciências sociais e humanidades - http://flacso.org.ar/latinrev/ 

REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) - https://www.redib.org/

____________

ESPM Rio
Rua do Rosário 90 - Centro - Rio de Janeiro - 20.041-002 - RJ
revistadcec-rj@espm.br
ISSN 2525-2828 

 

Licença Creative Commons

A Diálogo com a Economia Criativa está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.