Questões polêmicas sobre a economia criativa em territórios urbanos com carências socioeconômicas

Israel Alves Jorge de Souza

Resumo


A partir da definição de territórios urbanos com carências socioeconômicas (TUCS), abrangendo favelas e áreas urbanas degradadas, pretende-se breve análise da economia criativa como estratégia de desenvolvimento territorial para em seguida percorrer questões polêmicas relacionadas. Trata-se de questões que remetem inclusive à própria relação histórica entre Portugal e Brasil, no âmbito do recorte metodológico da pesquisa que deu origem ao presente texto. Por um lado, há o posicionamento de que as iniciativas de indução da economia criativa podem se traduzir em imposições capitalistas que ameaçam as especificidades culturais dos TUCS. Por outro lado, entende-se que essas iniciativas podem ser encaradas como resgates e adaptações do clássico fenômeno urbano de balanço entre funcionalidades econômicas e criatividade, num viés flexível e positivo em prol do desenvolvimento.


Texto completo:

PDF

Referências


Ascensão, Eduardo (2013) “A barraca pós-colonial: materialidade, memória e afeto na arquitetura informal” in Domingos, Nuno; Peralta, Elsa (Orgs.). Cidade e Império: dinâmicas coloniais e reconfigurações pós-coloniais. Lisboa: Edições 70, 415-462.

BOP Consulting (2010) Guia prático para o mapeamento das indústrias criativas (D. M. Rey e J. Loureiro, Trads.). Londres: British Council.

Brandão, Pedro (2011) O sentido da cidade: ensaios sobre o mito da imagem como arquitectura. Lisboa: Livros Horizonte.

Cocco, Giuseppe (2014) “Territórios da paz: territórios produtivos?” Cadernos IHU Ideias. 12 (207), 4-36.

COELHO, Alexandra L. Vai, Brasil. Lisboa: Tinta-da-china, 2013.

Davis, Andrea M. (2008) “A economia criativa como estratégia para o crescimento e a geração de riqueza na Jamaica e no Caribe” in Reis, Ana C. F. (Org.). Economia criativa como estratégia de desenvolvimento: uma visão dos países em desenvolvimento. São Paulo: Itaú Cultural: Garimpo de Soluções.

Davis, Mike (2006) Planeta favela (B. Medina, Trad.). São Paulo: Boitempo.

Domingues, José M. (2003) “Amartya Sem: a liberdade e o desenvolvimento” Revista Novos Estudos. 65, 57-70.

Durham, Eunice R. (2004). A dinâmica da cultura: ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac & Naify.

Facina, Adriana (Org.) (2014) Acari cultural: mapeamento da produção cultural em uma favela da zona norte do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Mauad: FAPERJ.

Gonçalves, Rafael S. (2013) Favelas do Rio de Janeiro: história e direito. Rio de Janeiro: Pallas: Ed. PUC-Rio.

Governo do Rio de Janeiro (2015) “UPP - Unidade de Polícia Pacificadora”, http://www.upprj.com/ [25 de maio de 2015].

Hisrich, Robert D.; Peters, M. P.; Shepherd, D. A. (2009) Empreendedorismo. (T. F. Souza, Trad.). Porto Alegre: Bookman.

IBGE (2010) XII Censo demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, http://censo2010.ibge.gov.br [12 de agosto de 2015].

Jacques, Paola B. (2002) “Cartografias da Maré” in Dráuzio, Varella; Bertazzo, Ivaldo; Jacques, Paola B. Maré: vida na favela. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 13-66.

Knell, John; Oakley, Kate (2007) “London’s creative economy: an accidental success?” Provocation Series. 3 (3), 1-29, http://www.theworkfoundation.com/assets/docs/publications/63_creative_london.pdf [30 de julho de 2015].

Lessa, Carlos (Org.) (2002) Os lusíadas na aventura do Rio Moderno. Rio de Janeiro: Record.

Lipovetsky, Gilles; Serroy, Jean (2014) O capitalismo estético na era da globalização (L. F. Sarmento, Trad.). Lisboa: Edições 70.

Magalhães, Andreia (2008) Reabilitação urbana: experiências precursoras em Lisboa. Lisboa: Parque Expo.

Maimon, Dália (Coord.) (2014) “Relatório Final de Pesquisa”. Territórios criativos e inclusão produtiva: estudo de caso do entorno do estádio do Maracanã. UFRJ, Instituto de Economia. Rio de Janeiro.

Meneses, Ulpiano B (1980) “O objeto material como documento” in Patrimônio cultural: políticas e perspectivas. São Paulo, Brasil 1980. São Paulo: IAB/ CONDEPHAAT.

Norton, José (2004) Pina Manique: o fundador da Casa Pia de Lisboa. Lisboa: Bertrand Editora.

O Globo (2011) “Brasil tem um Portugal inteiro vivendo em favelas” O Globo. 22 de dezembro, A1.

________ (2018) “Reestruturação das UPPs deve ser anunciada em breve, diz porta-voz do Gabinete de Intervenção Federal” O Globo. 14 de março, https://oglobo.globo.com/rio/reestruturacao-das-upps-deve-ser-anunciada-em-breve-diz-porta-voz-do-gabinete-de-intervencao-federal-22488034#ixzz5APZV9su3 [21 de março de 2018].

Oliveira, Fabiana L. (2014). Cidadania, justiça e “pacificação” em favelas cariocas. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Oliveira, Nuno (2013) “Lisboa redescobre-se. A governance da diversidade cultural na cidade pós-colonial. A scenescape da Mouraria” in Domingos, Nuno; Peralta, Elsa (Orgs.). Cidade e Império: dinâmicas coloniais e reconfigurações pós-coloniais. Lisboa: Edições 70, 557-602.

Peralta, Elsa (2013) “A composição de um complexo de memória: o caso de Belém, Lisboa” in Domingos, Nuno; Peralta, Elsa (Orgs.). Cidade e Império: dinâmicas coloniais e reconfigurações pós-coloniais. Lisboa: Edições 70, 361-414.

Raj Isar, Yudhishthir (2008) “Visão global: das inquietações conceituais a uma agenda de pesquisas” in Reis, Ana C. F. (Org.). Economia criativa como estratégia de desenvolvimento: uma visão dos países em desenvolvimento. São Paulo: Itaú Cultural: Garimpo de Soluções.

Reis, Ana C. F.; De Marco, Kátia (Orgs.) (2009) Economia da cultura: ideias e vivências. Rio de Janeiro: Publit.

Santos, José L. A.; Caetano, Lucília (eds.) (2002) Modelos de organización territorial en la raya central ibérica: una visión de conjunto. Salamanca: Ediciones Universidad Salamanca: Imprensa da Universidade de Coimbra.

Sen, Amartya (2010) Desenvolvimento como liberdade (L. T. Motta, Trad.) São Paulo: Companhia das Letras.

SOUZA, Israel Alves Jorge de. A economia criativa do mundo antigo. Diálogo com a economia criativa, v. 2, n. 4, p. 26-38, jan./abr. 2017.

Terra, José M.; Carvalho, Thiago F. (2015) Justiça paralela: criminologia crítica, pluralismo jurídico e (sub)cidadania em uma favela do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Revan.

Terceiro, Carla S. F. (2013) De social a privilegiado: narrativas de bairros sociais em Lisboa. Dissertação de mestrado em Engenharia do Território. Instituto Superior Técnico de Lisboa.

Throsby, David (2010) The economics of cultural policy. Cambridge: Cambridge University Press.

UNCTAD (2010) Creative Economy Report 2010 – Creative economy: a feasible development option. Genebra: United Nations, http://unctad.org/en/Docs/ditctab20103_en.pdf [29 de julho de 2015].

UNESCO (2013) Creative Economy Report 2013 – Special edition: widening local development pathways. Paris: United Nations, http://www.unesco.org/culture/pdf/creative-economy-report-2013.pdf [29 de julho de 2015].

Varella, Dráuzio (2002) “Falas da Maré” in Dráuzio, Varella; Bertazzo, Ivaldo; Jacques, Paola B. Maré: vida na favela. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 67-112.

Velloso, João P. R. (Coord.) (2012) Favela como oportunidade: plano de desenvolvimento de favelas para sua inclusão social e econômica. Rio de Janeiro: INAE.

Zezé, Preto (2014) “Apresentação” in Meirelles, Renato; Athayde, Celso. Um país chamado favela: a maior pesquisa já feita sobre a favela brasileira. São Paulo: Editora Gente, 17-22.




DOI: http://dx.doi.org/10.22398/2525-2828.3887-101

A Revista está listada nos seguintes indexadores e repositórios:

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: http://www.periodicos.capes.gov.br/

DOAJ - https://goo.gl/f862GM

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras - http://diadorim.ibict.br/handle/1/1649

Sumarios.org - https://goo.gl/AJe9GY

LatinREV - Rede Latinoamericana de revistas acadêmicas do campo das ciências sociais e humanidades - http://flacso.org.ar/latinrev/ 

REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) - https://www.redib.org/

____________

ESPM Rio
Rua do Rosário 90 - Centro - Rio de Janeiro - 20.041-002 - RJ
revistadcec-rj@espm.br
ISSN 2525-2828 

 

Licença Creative Commons

A Diálogo com a Economia Criativa está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.