A memória discursiva na construção do sujeito neoliberal feminino: ditos e não ditos da campanha “Silicone Seguro”

Sabina Lovato

Resumo


Neste fragmento de nossa pesquisa de mestrado, discutimos de que forma a memória discursiva é mobilizada em discursos midiáticos sobre beleza e saúde. Para tanto, analisamos textos verbais e não verbais do discurso da campanha “Silicone Seguro”, da Johnson & Johnson, a partir dos ditos e não ditos que convocam o sujeito neoliberal feminino ideal (DARDOT E LAVAL, 2016; ELIAS, GILL, SCHARFF, 2017; PRADO, 2013). Defendemos que o labor estético exigido às mulheres para serem consideradas bem-sucedidas na contemporaneidade é ressignificado em “Silicone Seguro” como empoderamento feminino, por meio de uma estratégia discursiva que mobiliza afetos positivos e aspectos dos feminismos para inculcar a mentalidade neoliberal do empreendedorismo de si, utilizando a força e a potência de agência das mulheres como catalisadores de individualismo e desempenho. Neste discurso, a mulher é posicionada como empoderada na medida em que se conforma com antigas normas de feminilidade e de conduta, ainda presentes na memória discursiva de uma sociedade considerada machista.

Texto completo:

PDF

Referências


BOLTANSKI, Luc; CHIAPELLO, Ève. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

BRANDÃO, Helena H. Nagamine. Introdução à análise do discurso. Campinas: Editora da Unicamp, 2012.

BUITONI, Dulcilia H. S. “Revistas femininas: ainda somos as mesmas, como nossas mães.” Communicare, v. 14, p. 36-45, 2014.

CARRASCOZA, João, e Tania HOFF. “Ditos e não-ditos: o Brasil e as práticas de consumo nos auto anúncios das agências de publicidade nos anos 1950.” Revista Organicom, v. 1, p. 39-45, 2015.

CENSO 2016 – Situação da cirurgia plástica no Brasil. Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Disponível em: . Acesso em jan. 2019.

CONTRATURA Capsular: Como Isso Pode Alterar o Resultado da Sua Cirurgia de Prótese de Silicone? Dream Plastic, 2017. Disponível em: . Acesso em fev. 2019.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DOSEKUN, Simidele. “The Risky Business of Postfeminist Beauty.” In: ELIAS, Ana Sofia; GILL, Rosalind; SCHARFF, Christina. Aesthetic Labour: Rethinking Beauty Politics in Neoliberalism. Londres: Palgrave Macmillan, 2017.

ELIAS, Ana Sofia; GILL, Rosalind; SCHARFF, Christina. Aesthetic Labour: Rethinking Beauty Politics in Neoliberalism. Londres: Pagrave Macmillan, 2017.

FAVARO, Laura. “‘Just Be Confident Girls!’: Confidence Chic as Neoliberal Governmentality.” In: ELIAS, Ana Sofia; GILL, Rosalind; SCHARFF, Christina. Aesthetic Labour: Rethinking Beauty Politics in Neoliberalism. Londres: Palgrave Macmillan, 2017.

GILL, Rosalind; SCHARFF, Christina. New femininities: Postfeminism, neoliberalism and subjectivity. Basingstoke: Palgrave Macmillian, 2011.

GREGOLIN, Maria do Rosario de Fatima. Análise do discurso e mídia: a (re) produção de identidades. Comunicação mídia e consumo, v. 4, n. 11, p. 11-25, 2007.

HOFF, Tania. “Comunicação publicitária: dos regimes de visibilidade do corpo diferente às biossociabilidades do consumo.” In: HOFF, Tania. Corpos discursivos: dos regimes de visibilidade às biossociabilidades do consumo Recife: Editora UFPE, 2016, p. 19-40.

ISAPS International Survey on Aesthetic/Cosmetic Procedures Performed in 207. ISAPS. Disponível em: < https://tinyurl.com/y2fagj4v >. Acesso em jan. 2019.

JARRÍN, Alvaro. The Biopolitics of Beauty: Cosmetic Citizenship and Affective Capital in Brazil. Oakland: University of California Press, 2017.

LAZAR, Michele M. “‘Seriously Girly Fun!’: Recontextualising Aesthetic Labour as Fun and Play in Cosmetics Advertising.” In: ELIAS, Ana Sofia; GILL, Rosalind; SCHARFF, Christina. Aesthetic Labour: Rethinking Beauty Politics in Neoliberalism. Londres: Palgrave Macmillan, 2017.

MANIFESTO. Silicone Seguro. Disponível em: . Acesso em dez. 2018.

MCROBBIE, Angela. “Notes on the Perfect: Competitive Femininity in Neoliberal Times.” Australian Feminist Studies, v. 30, p. 3-20, 2015.

MENTOR. Disponível em: . Acesso em ago. 2019.

ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes Editores, 2015.

PRADO, José Luiz Aidar. Convocações biopolíticas dos dispositivos comunicacionais. São Paulo: EDUC- Editora da PUC-SP, 2013.

SANT’ANNA, Denise B. História da Beleza no Brasil. São Paulo: Contexto, 2014.

SCHARFF, Christina. “The Psychic Life of Neoliberalism: Mapping the Contours of Entrepeneurial Subjectivity.” Theory, Culture & Society, v. 33, n. 6, p. 107-122, 2015.

SEMPRINI, Andrea. A marca pós-moderna: poder e fragilidade da marca na sociedade contemporânea. São Paulo: Estação das Letras, 2006.

SILVERSTONE, Roger. Por que estudar a mídia? São Paulo: Edições Loyola, 2014.

SODRÉ, Muniz. Antropológica do espelho: uma teoria da comunicação linear e em rede. Petrópolis: Editora Vozes, 2013.

WEATHERFORD, Ashley. Why Are So Many Makeup Companies Treating Women Like Children? The Cut, 2017. Disponível em: . Acesso em jan. 2019.

YALOM, Marilyn. A history of the breast. Lexington, EUA: Ballantine, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.22398/2525-2828.41272-87

A Revista está listada nos seguintes indexadores e repositórios:

LATINDEX: https://www.latindex.org

PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: http://www.periodicos.capes.gov.br

DOAJ - https://goo.gl/f862GM

Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras - http://diadorim.ibict.br/handle/1/1649

Sumarios.org - https://goo.gl/AJe9GY

LatinREV - Rede Latinoamericana de revistas acadêmicas do campo das ciências sociais e humanidades - http://flacso.org.ar/latinrev/ 

REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico) - https://www.redib.org/

____________

ESPM Rio
Rua do Rosário 90 - Centro - Rio de Janeiro - 20.041-002 - RJ
revistadcec-rj@espm.br
ISSN 2525-2828 

 

Licença Creative Commons

A Diálogo com a Economia Criativa está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.